Luiz Gustavo Bonatto Rufino

Confira aqui mais informações sobre o trabalho.

Educador Nota 10

2019

Luiz Gustavo @ Roosevelt Cássio NE
Foto: Roosevelt Cássio (Nova Escola)

Práticas que levam ao autoconhecimento na Educação Física

Meninos e meninas do 3º ano desmereciam seus corpos e suas habilidades. Para reverter esse quadro, o professor os fez experimentar as possibilidades e as limitações do corpo nas aulas.

Educador Nota 10: Luiz Gustavo Bonatto Rufino
Escola Municipal Odete Emídio de Souza
Paulínia, SP
Educação Física – 3º ano
Ensino Fundamental

Projeto: Ressignificando as visões sobre o corpo
Número de alunos: 75
Duração do trabalho: 4 meses

Resumo: Em resposta a uma pesquisa, vários alunos de Luiz Gustavo apontaram não gostarem de si e terem vergonha de seus corpos. Incomodado com a forma como as crianças têm se relacionado com a autoimagem, o professor resolveu agir. Organizou um projeto para que elas mudassem suas visões do corpo por meio de experiências significativas na Educação Física. Dividiu o trabalho em três eixos: “Eu, meu corpo e minha história”, em que explorou as possibilidades físicas de cada um em práticas de atletismo, ginástica e circo; “O outro e seu corpo”, com atividades como o delineamento do contorno dos colegas e o uso de pernas de pau em duplas e o “O corpo, suas potencialidades e limitações”. Este último eixo abordou os sentidos, oferecendo atividades sem a visão, com limitações motoras ou desafios específicos. Uma das aulas proporcionou uma vivência requisitada pelos alunos: o Parkour. Por fim, as crianças escreveram sobre o tema “O que pode o corpo?”, refletindo sobre as aulas e a imagem de si mesmos e dos outros.

Por que o trabalho foi premiado?
“O projeto apresenta abordagem transformadora, fundamental para o eixo de Educação Física denominado conhecimentos sobre o corpo. Tradicionalmente essa temática na escola é voltada às questões biológicas do corpo, aspectos anatômicos e fisiológicos. Luiz Gustavo transformou vivências cotidianas em experiências significativas ligadas à cultura corporal de movimento e buscou outras nuances e expressividades vinculadas à compreensão de corpo, abordando-o em três eixos. Assim atletismo, circo, ginástica e Parkour colaboraram para um olhar mais contextualizado do corpo e na relação dos alunos consigo mesmos e com os outros. O projeto tem intencionalidade pedagógica clara, com ações bem definidas e planejadas. Os estudos e a formação do professor, que tem doutorado em Ciências da Motricidade, contribuem para a qualidade do tratamento da informação e o olhar para aprendizagem. Destaque para as estratégias didáticas desenvolvidas para a inclusão, um princípio importante dentro do trabalho.” Marcos Santos Mourão, o Marcola, atua como formador de professores da área de Educação Física e é selecionador do Prêmio Educador Nota 10

Veja também

Nova Escola Quando a prática faz sentido para os alunos
Nova Escola Quando a Educação Física mexe com a autoestima das crianças
Veja “A educação é de corpo inteiro”
Futura Entrevista “Ressignificando as visões sobre o corpo”
G1 Professor de Paulínia é um dos vencedores do prêmio Educador Nota 10 com projeto de aceitação do corpo
Diversa A alteridade no centro da quadra e o corpo no centro da escola
Educa 10 Podcast do Educador Nota 10 com Luiz Gustavo