André Luís Barcellos

O Vencedor na Mídia:

Podcast Educa 10 – André Luís Barcellos – Educador Nota 10 – 2020
16/10/2020 – Correio BrazilienseEstá aberta a votação popular do Prêmio Educador Nota 10
15/10/2020 – Site G1 ‘A educação precisa permitir o erro’: o professor que colocou a ciência como missão após um momento de eureca
07/10/2020 – Nova Escola – Entrevista IGTV Nova Escola
02/10/2020 – Futura – Entrevista: “Acredito que a educação científica forma cidadãos conscientes”
08/09/2020 – Site G1 Professor da rede pública do DF ganha prêmio Educador Nota 10
08/09/2020 – Globoplay Bom Dia DFProfessor da rede pública do DF ganha prêmio Educador Nota 10 
07/09/2020 – Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal Único representante do Centro-Oeste entre os dez premiados, brasiliense André Luis Miranda de Barcellos Coelho dá aula de Física
07/09/2020 – Metrópoles – Professor da rede pública do DF é um dos vencedores do Educador Nota 10
23/07/2020 – Correio BrazilienseProfessor brasiliense é um dos vencedores do Prêmio Educador Nota 10
Nova Escola BoxO professor que trouxe um método científico para trabalhar óptica

 

Desafios e dinâmicas movimentam as aulas de Física

Estudantes investigam os conceitos e características da óptica e se entusiasmam pelo fazer científico

Foto: Nidiacris Ribeiro / Trupe Filmes

Educador Nota 10: André Luís Coelho
Física – 3ª ano / Ensino Médio
Escola: SEB Dínatos
Brasília, DF

Projeto: Óptica com Ciência
Número de alunos: 220
Duração do trabalho: 1 semestre

Resumo: O trabalho do professor André estimulou o aluno a executar investigações científicas. As sequências didáticas seguiam sempre por três etapas que se repetiam: (1) investigação, (2) análise e tratamento de dados; (3) debate e sistematização. Em uma das atividades, divididos em grupos, eles passaram por estações rotativas. Em cada uma havia um experimento a ser feito e investigado, e os alunos anotavam observações, faziam inferências e produziam questionamentos. Na segunda etapa, os dados coletados eram socializados com toda a classe e então tratados de maneira estatística pelos jovens, o que possibilitava que eles formulassem as conclusões. A terceira etapa era um debate, em que o professor, a partir dos dados e colocações dos alunos, trazia novos questionamentos ou chegava de forma dialogada a novas conclusões. Esses ciclos, que envolveram os jovens de maneira interativa, dinâmica e desafiadora, foram repetidos para estudar conceitos da óptica quanto às características da luz e seu comportamento ao incidir em diversos instrumentos ópticos, como espelhos planos, esféricos e as lentes.

Por que o trabalho foi premiado?
“O projeto foi premiado porque ele é um belo exemplo de como se cria contextos nos quais os alunos são estimulados a fazerem uma investigação científica orientada intencionalmente. O professor propõe atividades que são um convite para que o aluno participe de forma determinante do seu próprio processo de aprendizagem, vivenciando a investigação e sendo estimulado a desenvolver consciência de que não basta uma opinião para ele tirar suas conclusões ou orientar suas atitudes, é necessário que ele se aproprie de referências teóricas ou de evidências experimentais. Outra qualidade do projeto do professor André é a diversidade metodológica, que possibilita com que um maior número de alunos acompanhe as atividades em sala de aula, tornando o ensino mais democrático e acessível, pois tem olhar não apenas para a maioria, mas para todos os alunos.” Harley Sato é coordenador de projetos de formação de professores de Ciências da Natureza e doutorando em formação de professores na PUC-SP e Thais Ogeda é professora de Química e mestre na área de Ciências pela USP. Ambos são selecionadores de Física do Ensino Médio do Prêmio Educador Nota 10.