Lúcia Cristina Santos

A Vencedora na Mídia

Podcast Educa 10 – Lucia Cristina Santos – Educadora Nota 10 – 2020
19/10/2020 – Itaú Social Notícias Escola de acolhimento
19/10/2020 – Portal AmazôniaProfessora do Amazonas é finalista do Prêmio Educador Nota 10; vote
07/10/2020 – Nova Escola Entrevista IGTV Nova Escola
16/09/2020 – Site Claudia – Diretora transforma escola de Manaus
22/07/2020 – Portal Diversa – Vencedores do Prêmio Educador Nota 10 valorizam equidade e inclusão
21/07/2020 – Direto ao Ponto – Gestora de escola municipal vence prêmio nacional ‘Educador Nota 10’
20/07/2020 – Informe Manaus – Gestora de escola da Prefeitura de Manaus vence prêmio nacional ‘Educador Nota 10’
Nova Escola Box – Diretora transformou escola vulnerável em espaço de diálogo

Educação integral é obra de todos

Diretora apostou na gestão participativa e montou uma rede de proteção para incluir alunos estrangeiros e suas famílias na comunidade escolar

Foto: Nidiacris Ribeiro / Trupe Filmes

Educadora Nota 10: Lúcia Cristina Santos
Gestão Escolar – Diretora / Anos Iniciais do Ensino Fundamental
Escola: EM Prof. Waldir Garcia
Manaus, AM

Projeto: Acolher para todos envolver e aprender
Número de alunos: 223
Duração do trabalho: 1 ano letivo

Resumo: A inclusão é o princípio norteador das ações de gestão nesta unidade municipal de tempo integral em Manaus que recebe alunos haitianos, venezuelanos, com deficiência e em situação de risco. A diretora Lúcia visitou escolas públicas inovadoras em São Paulo para entender os princípios da Educação Integral e mudar da prática pedagógica tradicional, que acentua desigualdades, para uma gestão democrática. Conseguiu desburocratizar relações, estabelecer vínculos, engajar e dialogar com todos os atores da comunidade escolar. Carteiras individuais foram trocadas por mesas redondas, não há filas, nem reprovação. Os resultados de avaliações internas e externas permitem revisar o processo de ensino, pois o foco central é a aprendizagem. As decisões são feitas em assembleias, onde os alunos atuam como protagonistas. Cada uma das 223 crianças escolhe um tutor, que a acompanha até o final do 5º ano. Lúcia se apoia na intersetorialidade, assim a Unidade Básica de Saúde acompanha a saúde das crianças e uma Organização da Sociedade Civil dá apoio nas tutorias e em formações da equipe.

Por que o trabalho foi premiado?
“O projeto assegura o direito de aprendizagem a todas as crianças, sendo que um grande número delas é imigrante. O idioma desafia a inclusão e aprendizagem dos estrangeiros e também a equipe, por isso Lúcia estabeleceu parcerias com a Secretaria Municipal de Educação e o consulado da Colômbia para oferecer um curso de espanhol a estudantes e professores. A escola também tem aulas de francês crioulo ministrado por haitianos. Chamam a atenção as tomadas de decisão da diretora em prol da melhoria da qualidade pedagógica. Por exemplo, não há reprovação, mas os alunos fazem avaliações internas e externas. Os instrumentos de acompanhamento da SEMED são utilizados para analisar o ensino da unidade e as variáveis que impactaram nas aprendizagens dos alunos. O que respalda as decisões de Lúcia são estudos regulares com toda equipe, as discussões com o time pedagógico da SEMED, as reuniões com pais e responsáveis, as tutorias e a parceria com universidades. Tudo isso faz com que a gestão seja genuinamente democrática e participativa, impactando resultados como o Ideb (7,4 em 2019).” Maura Barbosa é coordenadora pedagógica na área de gestão escolar na Comunidade Educativa CEDAC e selecionadora do Prêmio Educador Nota 10

“Lúcia é uma gestora que faz a diferença para a comunidade. O trabalho com a população imigrante é mesmo extraordinário e quebra paradigmas. A inclusão está lá presente não só como um valor, mas também como um orientador ético de todas as ações desencadeadas em seu projeto de escola.” Gunga Castro é formadora de professores na área de inclusão e selecionadora do Prêmio Educador Nota 10