Rosalina de Lázaro

A VENCEDORA NA MÍDIA:

09/06/2022 – Nova EscolaEducador Nota 10: Atividades de investigação permitem desenvolver aprendizagens significativas

23/03/2022 – Record TV Rio PretoProfessora de Aspásia ganha concurso Educador Nota 10

01/03/2022 – Diário da RegiãoProfessora da região de Rio Preto vai para final do Prêmio Educador Nota 10

03/03/2022 – Giro paulistaProfessora da região de Rio Preto vai para final do Prêmio Educador Nota 10

13/03/2022 – Jornal de JalesEDUCADOR NOTA 10: “Choramos muito quando ficamos sabendo da conquista”, revela professora premiada

23/03/2022 – Facebook Prêmio Educador Nota 10Encerrando com chave de ouro o #TOP10 da 24ª edição do Prêmio Educador Nota 10

09/03/2022 – Site segsProfessora da rede estadual é premiada no Prêmio Educador Nota 10

08/03/2022 – Secretaria de Educação Governo do Estado de São PauloProfessora da rede estadual é premiada no Prêmio Educador Nota 10

TODOS PARTICIPAM DAS BRINCADEIRAS NO QUINTAL

A valorização dos saberes e o envolvimento de familiares foram determinantes para a educação integral das crianças, resultado da proposta dessa professora de Educação Física

Foto: Nidiacris Ribeiro / Trupe Filmes

Educador Nota 10:  Rosalina de Lázaro
Educação Física – 2º a 5º ano / Anos Iniciais do EF
Escola: EE José dos Santos
Aspásia, SP

Trabalho: Projeto brincadeiras de quintal
Número de alunos:  110
Duração do trabalho: 2 meses

Resumo: Um tema comum – os jogos e brincadeiras tradicionais – se desdobrou em um trabalho de educação integral, aliando as dimensões física, intelectual, emocional, social e cultural. A professora, conhecida como Rosinha, acertou na escolha de estratégias, nas formas de participação das crianças e das famílias. Pais, irmãos e avós tiveram oportunidade de ensinar e aprender uns com os outros. Já nas primeiras entrevistas, as pessoas idosas foram valorizadas por suas vivências, histórias de objetos infantis e espaços lúdicos de outros tempos. As gravações estão no blog sobre o projeto, que traz registros de diferentes etapas, desde as propostas presenciais desenvolvidas na escola até vídeos sobre brincadeiras realizadas em casa, produções escritas sobre as preferidas da família, autoavaliações e depoimentos dos alunos. As crianças estiveram sempre no centro do planejamento de Rosinha, que pediu a elas que também buscassem práticas lúdicas de origem indígena e africana, ampliando o repertório de todos que participaram das brincadeiras no quintal.

Por que o trabalho foi premiado?
Aposentada, Rosinha continua à frente de muitas turmas e projetos de educação integral, rompendo com a ideia arraigada do professor de Educação Física como alguém pouco vinculado ao projeto político pedagógico da escola. O trabalho dela, que mobilizou a comunidade, mostra relevância na qualidade da relação com o entorno, na assertiva escolha das estratégias, nas formas de participação das crianças e na articulação junto às famílias. Na organização do projeto, as propostas, além de divertidas, trouxeram sentido e significado, pois estavam articuladas e ajustadas com o planejamento anual dos anos iniciais e ao cotidiano trazido pela pandemia. Rosalina “não deixou a peteca cair” na transição do presencial para o remoto. Destaco sua preocupação com as múltiplas linguagens (corporal, visual, oral e escrita), quando solicita às crianças que entrevistem seus familiares em vídeo, e depois expliquem por escrito um jogo ou brincadeira preferida. E enfatizo que a documentação e o registro nas aulas de educação física ainda são diferenciais na área.”  Marcos Santos Mourão, o Marcola, atua como formador de professores da área de Educação Física e é selecionador do Prêmio Educador Nota 10